Gustavo Ortigara, do novo Conselho da Abiogás: “O grande barato do biogás é sua pluralidade”

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Gerente de Desenvolvimento de Negócios de Gás Natural e Biomassa na Copel (Companhia Paranaense de Energia), Gustavo Ortigara faz parte do novo Conselho da ABiogás. Para o engenheiro químico, a pluralidade é o grande diferencial do biogás, tanto na variedade de substratos, quanto na diversidade de subprodutos gerados e infinitas possibilidades de uso.

Gustavo acredita que no curto e médio prazo o biogás se estabelecerá de maneira firme, mas enxerga mais adiante, considerando seu maior potencial como vetor de transição energética do momento atual, no qual os combustíveis fósseis e líquidos vêm diminuindo sua participação, para uma nova era. “O biogás é base para o hidrogênio, combustível do futuro. A reforma do biometano a hidrogênio e gás de síntese abre um leque de infinitas possibilidades de transformações e produtos da química fina”, afirmou nesta entrevista que concedeu para o blog da ABiogás.

1- Como você vê o setor de biogás nos próximos anos?

O grande barato do biogás é a sua pluralidade, seja na variedade de substratos existentes para sua produção, na diversidade de seus subprodutos gerados e nas infinitas possibilidades de seu uso.

No curto e médio prazo, enxergo o biogás se estabelecendo de maneira firme como importante fonte energética para geração de energia elétrica e combustível veicular e de maquinário agrícola, substituindo combustíveis fósseis. Particularmente, o biometano, produzido no interior dos estados e longe da malha de gasodutos, exercerá papel fundamental na criação de demanda justificando a ampliação da infraestrutura pelas concessionárias de gás natural.

Adicionalmente, os subprodutos da sua geração e da purificação à biometano se apresentam como grandes possibilidades que logo serão exploradas em larga escala, quais sejam, aplicações e usos da energia mecânica e térmica (calor ou frio), do digestato (para aplicação direta ou agregando valor por meio do enriquecimento de nutrientes específicos), do enxofre e do dióxido de carbono (para usos diretos nas indústrias química, farmacêutica e alimentícia).

Porém, o pujante potencial do biogás se mostrará como vetor de transição energética do momento atual, no qual os combustíveis fósseis e líquidos vêm diminuindo sua participação, para uma nova era. O biogás é base para o hidrogênio, combustível do futuro. A reforma do biometano a hidrogênio e gás de síntese abre um leque de infinitas possibilidades de transformações e produtos da química fina.

2- Qual ação você destacaria como prioritária para o desenvolvimento do setor?

Uma ação seria reconhecimento, por parte das grandes empresas, investidores e governos, dessa pluralidade e atributos do biogás. Por exemplo, no setor de energia elétrica, o biogás se destaca por ser uma fonte firme, não intermitente, que pode atuar na base do sistema. Além disso, é armazenável de forma barata (num momento que se preveem grandes investimentos e pesquisa em outras formas de armazenamento mais complexas), podendo ser despachável em período de ponta. Ademais, grande potencial de geração está localizado em áreas rurais, em pontas de linhas, que podem ter deficiências de distribuição de energia, e a geração descentralizada, próxima à carga, pode aliviar essa fraqueza. Logo, os mecanismos de contratação de energia por leilões regulados e geração distribuída (na modalidade de compensação ou outras) devem levar em conta essas virtudes do biogás.

Outro ponto é o fortalecimento de universidades e institutos de pesquisa com o direcionamento de investimentos em pesquisa aplicada em todos os elos da cadeia do biogás.

3- Como a Abiogás pode atuar para alavancar o mercado?

Um ponto de atenção que tem se verificado é a ausência de bons projetos. De um lado é inegável o potencial de substratos e, do outro, há disponibilidade de recursos financeiros. Porém, existe um hiato entre as duas pontas que se refere a projetos inteligentes e bens estruturados. Acredito que a Associação tem a capacidade de contribuir para o preenchimento desta lacuna.

A Abiogás vem exercendo papel essencial no setor e deve continuar com a mesma intensidade e entusiasmo, instigando políticas públicas eficientes, promovendo networking e disseminando conhecimento sobre o energético. Eu me sinto honrado em fazer parte deste time. Biogás é mais!

Comente aqui:

Sobre a Abiogás

Desde 2013, a ABiogás é o canal de interlocução entre o setor de biogás e sociedade civil, os Governos Federal e estaduais, as autarquias e os órgãos responsáveis pelo planejamento energético brasileiro.

Posts Recentes

Curta nossa página: