Resumo: Urca Energia adquire a Gás Verde. ENC Energy é a primeira empresa de biogás de aterro a vender I-RECs. Cocal faz primeira entrega de biometano via carretas a cliente industrial. Oi fecha compra de energia elétrica a biogás da EVA Energia.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Urca Energia adquire Gás Verde e vai expandir produção de biometano

O Grupo Urca Energia adquiriu a Gás Verde S.A., que produz biometano no aterro sanitário de Seropédica (RJ), além de operar duas plantas de geração de energia a partir de biogás em Nova Iguaçu e São Gonçalo, todas localizadas na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. O valor total do negócio, que inclui a aquisição e as obras previstas para as unidades, é da ordem de R$ 1,2 bilhão.

A Urca Energia vai investir na expansão da usina de produção de biometano em Seropédica, e na substituição das duas térmicas a biogás por plantas de biometano até 2023. Juntas, as três usinas vão gerar mais de 400 mil m³ de biometano por dia. Com a produção atual de Seropédica de 120 mil m³ por dia, a empresa já conta com 50% do market share nacional na produção de biometano. A previsão é aumentar essa participação em 2024, com a plena operação das plantas de São Gonçalo e Nova Iguaçu, que será a maior planta de BioGNL do Brasil.

O gás natural renovável produzido hoje pela Gás Verde é comprimido e distribuído para clientes industriais, como a siderúrgica Ternium e Ambev, por exemplo, e para postos de gás natural veicular do Rio de Janeiro.

O Grupo Urca atua no Rio de Janeiro, São Paulo e Mato Grosso, onde estão seus 13 projetos em geração, distribuição e comercialização de energia. Até 2023, pretende investir R$ 3 bilhões. Em 2022, o grupo deve registrar faturamento consolidado superior a R$ 500 milhões.

 

ENC Energy inaugura I-RECs e vende certificados para a Ecom Energia

A ENC Energy se tornou a primeira empresa de geração de energia elétrica por biogás de aterro a emitir o certificado I-REC no Brasil. Em 2021, a companhia vendeu mais de 254 mil certificados I-RECs para a Ecom Energia. Para 2022, as expectativas são ainda mais otimistas, já que na primeira quinzena de janeiro a ENC fechou contratos de vendas para, aproximadamente, 10% dos certificados previstos para o ano inteiro.

Segundo Henrique Fernandes, gerente Comercial da ENC, a empresa abastece mais de 100 clientes em todo o Brasil com a energia gerada nas suas usinas e com os I-RECs. Assim, os compradores poderão se certificar que o consumo veio de uma fonte renovável e limpa.

O programa de certificação internacional I-REC é representado no Brasil pelo Instituto Totum. Trata-se de um sistema global que contabiliza e rastreia a energia renovável. Cada I-REC equivale a 1 MWh de energia gerada por fonte renovável.

Em 2021, o Brasil emitiu mais de 9 milhões de I-RECs certificados, mais que o dobro de 2020.

 

Cocal faz primeira entrega de biometano via carretas a cliente industrial

A Cocal entregou, no início deste ano, seu primeiro carregamento de biometano via carretas. O energético foi entregue à YesSinergy, que atua no ramo de nutrição animal. A YesSinergy vai consumir 5 mil m3 diários em sua unidade em Lucélia (SP), a 150 quilômetros de Narandiba, onde está a planta de biogás da Cocal. A planta foi inaugurada em outubro do ano passado e foi implantada em parceria com a Geo Biogás & Tech.

A Cocal prevê iniciar em meados do ano o suprimento de biometano à GasBrasiliano, distribuidora de gás canalizado do noroeste de São Paulo que está implantando o projeto Cidades Sustentáveis – que inclui uma rede de 68 km dedicada ao bioenergético. O contrato de compra e venda de biometano entre a empresa e a concessionária foi assinado no início de 2020.

Em paralelo, a Cocal busca novos consumidores entre mais indústrias da região. Segundo informações da empresa de açúcar e etanol, no ciclo 2022/23, 53% da produção total de biogás será purificada para biometano e os outros 47% usados na geração de energia elétrica, em uma termelétrica de 5 MW de potência, instalada em Narandiba.

 

Oi fecha acordo com a EVA Energia para compra de energia a biogás

A operadora de telefonia Oi fechou acordo para comprar 20% da geração da termelétrica a biogás da EVA Energia, que será inaugurada em fevereiro em Seropédica (RJ). O contrato prevê a entrega de 8,76 GWh/ano, suficientes para atender 6 mil domicílios. A estimativa é de que a planta renda uma economia mensal de 40% nas contas de luz, garantindo uma redução de custo da ordem de R$ 2,5 milhões ao ano. O contrato tem validade de cinco anos, prorrogáveis por mais cinco.

Com a aquisição, a Oi passa a contar com o biogás entre as fontes renováveis que compõem sua matriz de energia, ao lado de biomassa, solar e hídrica. Cerca de 50% da matriz da empresa já são provenientes de fontes renováveis. A meta é aumentar o uso dessas fontes para 80% até o final de 2022 e chegar a 100% até 2025.

Com o acordo com a EVA Energia, a Oi chegou a 16 usinas à base de fontes renováveis contratadas até o final de 2021. Até o final deste ano este número deverá dobrar, com 32 plantas. O plano estratégico da companhia projeta uma economia superior a R$ 27 milhões nos gastos com o consumo de energia em 2022.

Comente aqui:

Sobre a Abiogás

Desde 2013, a ABiogás é o canal de interlocução entre o setor de biogás e sociedade civil, os Governos Federal e estaduais, as autarquias e os órgãos responsáveis pelo planejamento energético brasileiro.

Posts Recentes

Curta nossa página: